Liberte-se do Perfeccionismo: Permita-se mais e desapegue da autocrítica

Permita-se viver uma vida mais leve e autêntica, onde o progresso é mais importante do que a perfeição.

“Quem nunca se viu preso no ciclo exaustivo do perfeccionismo, buscando incansavelmente a excelência em cada tarefa? Este padrão de comportamento, embora muitas vezes visto como uma busca pela melhoria contínua, pode nos levar a um estado de autoexigência prejudicial, onde cada falha é vista como um grande obstáculo. No artigo de hoje, vamos abordar essa armadilha emocional e encontrar um equilíbrio saudável em nossas vidas, com a ajuda da terapia floral.


Preparei um checklist, composto por passos simples e eficazes, que todos podem seguir. Estes passos são projetados para ajudar a reconhecer, aceitar e superar os padrões perfeccionistas que a prendem, permitindo que você se mova em direção a uma vida mais equilibrada e satisfatória. Então, vamos começar esta jornada juntas, em busca de uma maior auto aceitação e bem-estar emocional?

Na incessante busca pela excelência e pelo sucesso, muitas vezes nos vemos presos em um dilema aparentemente contraditório: o perfeccionismo. Esse padrão de comportamento nos impulsiona a buscar incessantemente a perfeição em todas as nossas atividades. No entanto, essa busca implacável pode nos aprisionar em um estado de auto exigência excessiva, onde qualquer falha ou imperfeição é vista como inaceitável. Essa armadilha pode trazer uma série de consequências negativas, impactando não apenas nosso bem-estar emocional, mas também a produtividade e qualidade de vida.

Esse padrão de comportamento, o perfeccionismo, pode se manifestar de várias maneiras, todas caracterizadas pela busca incessante da perfeição e pelo medo de não alcançar os padrões que a pessoa estabelece para si mesma. Uma das formas mais comuns em que isso se expressa é através da procrastinação. Nesse caso, a pessoa pode adiar o início ou a conclusão de tarefas importantes por receio de não conseguir atender aos seus próprios padrões elevados de qualidade.

Podemos ilustrar essa situação com o exemplo de quando nos perdemos em minúcias. Imagine se eu ficasse presa nesse modelo de perfeição, achando que este conteúdo deveria ser muito mais aprofundado do que é. Provavelmente, ainda estaríamos presos nessa fase inicial, sem avançar na discussão. No entanto, o material já oferece uma compreensão bastante esclarecedora e útil, concorda? Perder-se nessas trivialidades só nos leva a gerar níveis elevados de cortisol, o que frequentemente prejudica nosso progresso e mina a capacidade de executar tarefas de forma eficaz. Isso ocorre porque o cortisol, conhecido como o “hormônio do estresse”, é liberado em resposta a situações estressantes ou desafiadoras. Quando nos preocupamos excessivamente, nosso corpo interpreta essa preocupação como uma ameaça e inicia a produção de cortisol em níveis elevados, o que pode acarretar efeitos negativos em nosso organismo.

Essas manifestações de perfeccionismo podem criar um impacto significativo, impedindo de alcançar seu pleno potencial e experimentar novas oportunidades de crescimento pessoal e profissional. O medo constante de não ser bom o suficiente pode criar um ciclo de autossabotagem, no qual ela se priva de experiências enriquecedoras por receio de não estar à altura de suas próprias expectativas e, naturalmente, este comportamento gera um grande prejuízo emocional.

Como mencionado em meus artigos anteriores, tais situações são alimentadas ao longo do tempo, e nós nos acostumamos a elas. Uma pergunta frequente em meus atendimentos é por que isso acontece. Muitas pessoas não se dão conta disso e acreditam que esse comportamento é inerente à sua personalidade. Mas o fato de trazermos certos comportamentos não implica necessariamente que estejamos alinhados com eles.

A neurociência, na verdade, nos apresenta uma questão importante. Durante nosso processo de desenvolvimento, somos influenciados por diversas fontes, e o cérebro, ao ouvir repetidamente certas mensagens, aprende a considerá-las verdadeiras. No entanto, é neste ponto que começamos a criar padrões, crenças e comportamentos sabotadores, que nos levam a acreditar que essas mensagens são reais.

Pessoas que se enquadram nesse padrão, na perspectiva da terapia floral de Bach, são frequentemente identificadas como tendo um perfil crônico de Rock Water, conforme sugere a própria nomenclatura — Água e Pedra. Isso significa que são indivíduos extremamente rigorosos consigo mesmos, cobrando-se excessivamente com inclinação ao perfeccionismoEm suas mentes, sentem a necessidade de seguir um padrão de perfeição e se tornar modelos para os outros. Muitas vezes, essas características se manifestam de forma inconsciente, mas estão intrinsecamente ligadas a este padrão, pois faz parte da categoria dos 07 auxiliares mencionados no artigo anterior.

Essa rigidez pode levar a um quadro de sofrimento emocional, mesmo que relute em admiti-lo, não se permitem relaxar e desfrutar das belezas que a vida oferece. Quando atingem o ápice do perfeccionismo, muitas vezes se veem diante de uma pressão para corresponder a padrões irrealistas que elas mesmas estabeleceram. Nesse estágio, a exigência por perfeição alcança seu ponto máximo, gerando uma intensa ansiedade e estresse. Para lidar com essa pressão insustentável, é comum que recorram à procrastinação como uma forma de escape temporário. Adiando o início ou a conclusão de tarefas, conseguem evitar temporariamente confrontar o medo de não alcançar suas próprias expectativas elevadas. No entanto, essa procrastinação pode acabar se tornando mais uma fonte de ansiedade e culpa, criando um ciclo prejudicial de auto sabotagem.

Por meio das minhas próprias vivências, enfrentei várias dificuldades que me permitiram compreender profundamente o que significava ser uma pessoa com características do tipo Rock Water. Percebi a importância de me libertar dessas amarras, que limitavam minha capacidade de aproveitar a vida em sua plenitude. A libertação dessas restrições não só me permitiu encontrar um equilíbrio mais saudável, mas também me possibilitou viver com mais autenticidade, elevando meu nível de permissão e realização.

Um exemplo comum, porém bastante real, é o de uma dona de casa com esse perfil. Ela se recusava ir ao cinema com as amigas porque sentia uma necessidade de manter sua casa em ordem, o que acabava por privá-la do convívio social. Tão dedicada à organização e perfeição, chegava ao ponto de negligenciar sua própria alimentação, levantando-se imediatamente da mesa para cuidar das tarefas domésticas, pois a sua pia não podia acumular louça e a cozinha precisava estar impecável.

Essa mulher sobrecarregava a si mesma com tantas responsabilidades que muitas vezes esquecia de olhar para ela. Não se tratava de submissão, mas sim do perfil de uma mulher multitarefas, constantemente sob pressão imposto por ela mesma. Esse é apenas um dos vários casos semelhantes que atendi em 2010.

Este comportamento pode estar associado ao perfil de Impatiens, como mencionei em outro artigo, onde a proatividade pode neste caso, estar vinculada a esse perfeccionismo. Entre as muitas consequências desse padrão, podemos observar ansiedade, irritação, dores especialmente na região lombar e nos joelhos, devido ao emaranhado emocional que a pessoa se encontra, impedindo-a de se libertar e aproveitar a vida em sua plenitude.

Nesse contexto, a terapia floral oferece uma abordagem holística e suave para lidar com esses indivíduos que lutam contra o perfeccionismo. Os florais podem promover uma melhor aceitação, ajudando a diminuir a autocrítica e a exigência excessiva, permitindo que ela se sinta mais confortável consigo mesma e com suas habilidades. Além disso, auxiliam a suavizar a tendência à procrastinação, possibilitando que a pessoa inicie suas ações sem a pressão implacável pela perfeição, enfatizando a importância de atribuir a si própria a flexibilidade em sua vida.

Além disso, os florais também desempenham um papel fundamental no alívio da ansiedade e do estresse associados a esse comportamento. Eles promovem uma sensação de calma e equilíbrio emocional, auxiliando na gestão mais eficaz dos desafios e pressões do dia a dia. Isso permite enfrentar as tarefas com mais confiança e serenidade.

Resumindo, a terapia floral pode ser uma ótima aliada, pois ajuda as pessoas a se aceitarem melhor, a serem menos críticas consigo mesmas e a lidarem com a ansiedade. Capacitando a conquistar um equilíbrio mais saudável em suas vidas, agindo com confiança e determinação na busca por seus objetivos.

À medida que nos aproximamos do final desta matéria, gostaria de compartilhar um Checklist que pode servir como um motivador em seu processo emocional. Embora o tema abordado hoje tenha diversas causas subjacentes, é crucial não apenas adquirir conhecimento, mas também aplicá-lo na prática. Ao colocarmos em prática nossos conhecimentos, oferecemos um direcionamento valioso para iniciar nossa jornada de transformação.

Com esse propósito em mente, selecionei cuidadosamente os seguintes tópicos essenciais para ajudar você a dar os primeiros passos rumo à mudança de padrões.

Lista de verificação: Como lidar com o padrão perfeccionista

Cada pequeno passo que você dá em direção à mudança é uma vitória em si mesma.

Reconheça e Aceite seus Limites e Imperfeições: É fundamental compreender e aceitar que todos nós temos limitações e falhas. Reconhecer isso é o primeiro passo para liberar-se desse modelo de perfeição.

Pratique a Auto Compaixão: Seja gentil consigo mesmo diante dos erros e falhas. A autocompaixão permite que você se perdoe e se trate com compreensão e bondade, em vez de autocrítica e rigidez.

Estabeleça Metas Realistas: Defina metas alcançáveis e mensuráveis, evitando padrões de perfeição inatingíveis. Metas realistas são mais viáveis e motivadoras, promovendo um progresso sustentável ao longo do tempo.

Desafie Pensamentos Autocríticos: Identifique e desafie os pensamentos autocríticos que reforçam o padrão de perfeccionismo. Substitua-os por pensamentos mais realistas e positivos, que promovam a autoaceitação e a confiança. Lembre-se: é melhor feito do que perfeito.

Priorize a jornadaValorize cada pequeno avanço em direção aos seus objetivos, reconhecendo que o progresso é mais importante do que a perfeição. Celebre suas conquistas, por menores que sejam.

Pratique o Autocuidado Regularmente: Reserve tempo para cuidar de si mesmo, praticando atividades que promovam o bem-estar físico e mental. O autocuidado é essencial para manter o equilíbrio e a saúde emocional.

Aprenda a Delegar e Aceitar Ajuda: Não hesite em delegar tarefas e aceitar a ajuda dos outros quando necessário. Aprender a compartilhar responsabilidades alivia a pressão e promove uma distribuição mais equilibrada do trabalho.

Cultive Flexibilidade e Adaptabilidade: Desenvolva uma postura flexível e adaptável diante das mudanças e imprevistos da vida. A flexibilidade permite que você se ajuste às circunstâncias em constante mudança, sem ficar presa a padrões rígidos e inflexíveis.

Busque Apoio Profissional, se Necessário: Se sentir dificuldades em lidar com esse e outros padrões, não hesite em buscar apoio e orientação profissional. Terapeutas e outros profissionais qualificados podem oferecer insights e estratégias eficazes para lidar com esse padrão de forma saudável.

Lembre-se sempre de que o progresso é mais importante do que a perfeição. Cada pequeno passo que você dá em direção à mudança é uma vitória em si mesma.

Este artigo foi útil para você? Compartilhe com suas amigas para que possamos multiplicar o conhecimento e ajudar mais pessoas. Aqui, fazemos parte da solução, promovendo o compartilhamento e a disseminação do conhecimento.

Com carinho,

Picture of Êurenì RS Pálma

Êurenì RS Pálma

Terapeuta floral e professora de autodesenvolvimento, ajuda você a cuidar das emoções e alcançar objetivos.
Registro Internacional nº 02018.2181

Compartilhe com seus amigos.

Facebook
Twitter
LinkedIn
WhatsApp

Deixe seu comentário.

5 1 voto
Classificação do artigo
Subscribe
Notify of
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments

Me siga nas redes sociais;

Posts Recentes

plugins premium WordPress
0
O que achou, por favor, comente.x